30 de dez de 2013

A Culpa É Das Estrelas?

A Culpa é Das Estrelas (ou na versão original: The Fault in Our Stars) é um livro estadunidense escrito por John Green. Voltado principalmente para o público adolescente, conta a história de Hazel, uma garota de dezesseis anos com câncer nos pulmões, e Augustus, que perdeu uma perna por causa do osteosarcoma. A história gira ao redor do romance entre esses dois adolescentes e a luta contra o câncer.

E basicamente é isso. 

Antes de começar a ler eu fiquei meio com o pé atrás por causa dessa "modinha" (não gosto muito de usar esse termo, já que acho que lê quem quer ler e gosta quem quer gostar). Mas como todo mundo estava lendo e dizendo que era um livro emocionante (e blá, blá blá) eu resolvi comprar e ler (e sim, eu gosto de comprar livros, me deixem u.u).

Eu li várias resenhas e nas várias que li (mesmo o autor tendo gostado do livro) cheguei a conclusão que era apenas "mais uma história sobre câncer". E sim, depois que acabei de ler só tive mais certeza disso. 

No inicio da leitura, senti um incomodo com a linguagem do livro, a culpa é minha: tem muito tempo que não leio livros "young adults" (jovens adultos) e perdi todo o costume dessa linguagem mais voltada para adolescentes. Mas depois dos primeiros capítulos já fui me acostumando e agora posso dizer: a escrita dele é muito boa, nenhum pouco cansativa e de rápida leitura. Quem me conhece sabe que eu demoro para ler romances e esse eu não demorei quase nada nesse. 

Gostei também da criação dos personagens e da maneira que ele organizou tudo para formar a história (juntando sua imaginação com a realidade de crianças com câncer). 

Mas, porém, todavia, entretanto e contudo, continua sendo apenas uma história sobre câncer e, não que eu seja incessível ou coisa assim, foi a que menos me emocionou até agora. Eu não chorei, não senti vontade de chorar, não fiquei triste nem nada (não pela história pelo menos*).  Também pouco ri ou qualquer coisa parecida. São "engraçadinhos" os personagens por serem adolescentes e terem todo esse humor adolescente, mas mesmo assim, mesmo tendo gente que rolou de rir, eu devo ter rido apenas uma vez em todas as 283 páginas. 

Por mais que tenha sido uma história legal (entre 0 e 10 eu daria uns 5), seja bem escrita, rápida, por mais que tratasse de um tema bem tenso, eu continuou não entendendo porque ficou tão famoso ou porque tantas pessoas gostaram TANTO dele. Como disse, pelo menos para mim, é um livro legal, mas não pretendo reler no futuro.

E sim, a crítica não foi favorável a história e eu apoio quem gosta do livro, mas isso foi o que eu achei depois de ler. 
*Eu me emociono pensando sobre todas as pessoas (não só crianças, mas principalmente crianças) que sofrem com câncer. Não acho que a morte seja uma coisa ruim, só para quem fica, mas lutar contra essa doença deve ser algo desgastante de mais para você chegar ao ponto de ouvir que não tem mais jeito e que agora é só esperar. Por isso me emociono. Não me emocionei com a história da Hazel e do Augustus.

Obrigada por lerem e não deixem de comentar. Concordam com a resenha? Não concordam? Deixem ai a opinião de vocês.
Beijos

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores