17 de fev de 2014

Infância de alguém

Criança, tão pequena,
A mais velha entre tantos,
Cuide dos teus irmãos,
Trabalhe na roça,
Estudar? Se der tempo,
Não precisa saber mais que o próprio nome,
Aquele nome de criança sofrida e sem infância.

Pobre criança,
Trabalha em casa de família
Ganhando uma mixaria
Para ajudar a alimentar
Os incalculáveis irmãos.

Sua infância se passa
Plantando arroz, milho...
Uma boneca de palha para brincar
Em seus raros momentos livres.

Criança, pobre criança.
Cuida da casa, dos irmãos,
Da plantação da família,
E ainda trabalha fora.

Criança, quão forte tu és
Para não derramar uma lágrima pensando nisso?
Criança, deite mais uma noite
Na esperança de ter um dia diferente.



Niko

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores