7 de jul de 2014

Sem título


Você está sentada encarando o chão,
Como se quisesse sumir.
Está envergonhada
Pelo que perguntou,
Mas espera uma resposta.
Qualquer resposta,
Apenas para acalmar o coração.
Mesmo que fosse um não...
Eu estou lá,
Lhe encarando atento,
Pensando no que dizer,
Medindo cada palavra
Para não lhe fazer chorar.
Por mais que você esperasse um não,
Para parar de ter esperança,
Eu não poderia dá-lo.
Não era aquilo que eu sentia
...
Eu queria lhe dar alguma resposta,
Mas não posso fazê-lo nem para mim.
Meu coração está tão confuso,
Como se fosse um labirinto
E a saída parece tão distante e tão caótica...
Eu queria poder lhe dizer apenas não
Mas não é aquilo que eu sentia.
Eu juro que queria entender,
Queria poder lhe explicar,
Mas talvez nunca poderei.
Não quero lhe fazer esperar
Pela minha mente tumultuada.
Um não seria bem mais simples...
Mas ... Como posso dá-lo?
Se não é aquilo que sinto?

Qual a melhor resposta
Para resumir tudo
E não lhe fazer sofrer mais?

E você subia os olhos para mim,
E meus olhos não tinham respostas.
Como eu poderia responder...

2 comentários:

  1. Esse poema é lindo, parabéns!!
    Essa não é a leitura mais agradável para mim, mas eu gostei bastante dele e repassei para uma amiga que também adorou, mais uma vez, parabéns!!

    ResponderExcluir
  2. Eu amo todos os poemas postados aqui. Mas esse eu fiquei espantada.
    Juro que arrepiei quando li.
    Por acaso, eu estava passando por essa situação quando o poema foi postado.
    Vocês usam sistema de vidência? dfjksdjhfdsjhgs
    Parabéns, ficou muito bom. ^-^

    ResponderExcluir

Seguidores