4 de abr de 2015

Desejando o meu anjo

Sinto-me tão pecador
Tão imundo, tão impuro
Pois meu lado obscuro é banhado de desejo
Aquele carnal mesmo.

Sonho com nossos corpos colados
Com juras que ninguém sabe se se cumprirão
Enquanto nossos corpos esquentam num ritmo frenético
E tua voz propaga pelo local.
E assim atingimos nossos ápices.

Entretanto, nenhum pecador é apenas pecado.
E assim, eu me horrorizo com meus desejos.
Pois meu lado ainda sóbrio de sentimentos belos
Pune-me por tal anseio.

Como ouso desejar isso com tal anjo?
Ninguém deseja anjos
Pois são exemplos de pureza
E assim se tornam mais belos.

E tu para mim és um anjo
O mais belo de todos
Com sua pureza e inocência.
Que ainda desejo desesperadamente.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores